segunda-feira, 2 de março de 2009

*EO* - Porque há noites assim...

Não me deixes fugir…
Não me deixes fugir para uma direcção oposta à tua…
Eu não quero.
Juro. Juro-te.
Este meu “não quero” é uma das certezas mais fortes que alguma vez tive porque…porque quando eu fujo, eu fujo e não volto. Tu sabes. Tu conheces-me.

Por vezes, penso…penso que a minha verdade te pertence, antes de me pertencer a mim mesma. Fico “enraivecida” quando pousas nas minhas mãos, a verdade (a minha!) que, até então, estava nas tuas. Não condeno a tua perspicácia…condeno a minha transparência que, pelos vistos, não te dá as certezas de que precisas. Contudo, a genuidade, feliz ou infelizmente, mora comigo e acompanha-me para qualquer lado…e, como amiga que sou, exijo a mim mesma dar-te em cada atitude, em cada gesto, em cada palavra toda a veracidade que possuo.

Só te peço para não me deixares fugir…
Eu não quero…não quero porque ainda há vestígios meus que são só teus…
Não quero.

4 comentários:

  1. "...não quero porque ainda há vestígios meus que são só teus..."

    Só esse trecho acima de seu fascinante texto já valeria por toda sua leitura.

    Ficou realmente mui belo.

    Fraterno abraço do amigo Gilbamar.

    ResponderEliminar
  2. Sublimes versos escapam das almas dos poetas
    Viajando até ao fundo dos céus como balões …
    Suspensos ficam no tecto brilhando poesias inquietas
    Reflectindo olhos orvalhados em prados de emoções

    Dedicado a todos
    Os poetas e poetisas
    Deste mundo,
    Os que já adormeceram,
    E aos outros
    Que ainda nem sono têm...

    Bem hajam!

    Uma boa sexta-feira e um melhor fim-de-semana…

    O eterno abraço…

    -MANZAS-

    ResponderEliminar
  3. Tocavam os raios ensolarados e madrugadores
    Nas vastas planícies, terras por conquistar…
    Do chão brotavam vidas e esperanças de amores
    Colhidas por ninfas ao som de flautas, a dançar

    Mas nessas terras, também corriam ventos de tirania
    Trazidas por lordes e senhores de um Rei ditador…
    Cobrando liberdade a um povo que por ela ardia
    Forçados às leis impostas pelas espadas, suor e dor

    Um resto de uma agradável semana!

    Bem-haja!

    O eterno abraço…

    -MANZAS-

    ResponderEliminar